O “mistério dos mistérios” de nossa vida cristã o sabemos bem e o repetimos – é a formação de Jesus em nós. A retomada e uso massivo desta expressão, por parte de São João Eudes, tomada da carta de São Paulo aos Gálatas (4, 19), está precedida de sua experiência pessoal como discípulo-amante de Jesus. João Eudes já vivia outra expressão da mesma carta aos Gálatas: “Já não sou que vivo, mas é Cristo que vive em mim” (2, 20), o verso mais citado em todas suas obras. Por ter a experiência da vida interior de Cristo, que São João Eudes, como São Paulo, quer que seus leitores e ouvintes tenham a mesma experiência de acolher a vida em si mesmos, os sentimentos, as disposições, o espírito de Jesus. Anima-o um grande desejo: conhecer Jesus

No marco da memória da primeira celebração do Coração de Jesus por São João Eudes, se realizará um encontro virtual com a oração eudista do mês de outubro, preparada pelos irmãos e irmãs da França. Nesta ocasião, o Superior Geral, padre Jean-Michel Amouriaux, apresentará à Congregação o Diretório Geral dos Associados Eudistas. Este documento é a resposta a uma moção da 66 ª Assembleia General Eudista, de 2017, e foi preparado com a participação das províncias e pelos coordenadores e assessores

Tema: Formar Jesus aproveitando os consolos espirituais.

Leitura bíblica: Eclo 2, 1-6:

" Meu filho, se te ofereceres para servir o Senhor, prepara-te para a prova. Endireita teu coração e sê constante, não te apavores no tempo da adversidade. Une-te a ele e não te separes, a fim de seres exaltado no teu último dia. Tudo o que te acontecer, aceita-o, e nas vicissitudes que te humilharem sê paciente, pois o ouro se prova no fogo e os eleitos, no cadinho da humilhação. Na doença e na indigência

Durante o mês de setembro, convidamos a todos para ler, meditar, orar, contemplar e atuar com a Sagrada Escritura. As seguintes disposições de São João Eudes nos podem ajudarem tal fim:

Na ocasião da memória dos beatos mártires eudistas, o Superior Geral dos Eudistas tem enviado estas palavras a todos aqueles a quem possa inspirar seu testemunho:

Celebrar aos mártires eudistas, caídos sob os golpes dos verdugos durante a Revolução Francesa em 1792, é celebrar a força de Deus, que se despega na debilidade dos que Nele confiam. Nossos irmãos eudistas encarcerados, devido a seu ministério de sacerdotes e de sua fidelidade à fé da Igreja, receberam esta força que vem de Deus